sexta-feira, 7 de maio de 2010

DECEPCIONADOS COM A IGREJA

Recentemente em seu blog, Cristianismo Radical, o Pr. Juber Donizete republicou um texto muito interessante relacionado a questão da decepção de algumas pessoas com a igreja e que me levou a refletir novamente sobre um momento difícil em que já passei em minha vida, a decepção com a igreja. A decepção em si não é com a Igreja santa do Senhor, não, a decepção que muitos se queixam sempre é com as pessoas.

O texto é bem atual, mesmo o Pr. Juber ter publicado primeiramente em 2008 e republicando-o agora, muitas pessoas puderam ler o texto e refletir bastante sobre os cuidados que a igreja deve ter no tratramento de quem se decepciona com a mesma. Por achar o texto muito atualizado para os dias de hoje, resolvi publicá-lo aqui no blog e no final deixarei um breve comentário.
Acompanhem:

Pr. Juber Donizete:

Durante os últimos meses, li alguns depoimentos, que de fato, me comoveram. Irmãos em Cristo, porém dispersos por aí, alguns ligados a uma igreja, outros não. Pessoas que sinceramente querem viver para Deus, mas a decepção que tiveram com a "igreja" foi grande. Estarei reiniciando uma série de estudos com esta temática.

Nesta primeira parte vou colocar dois depoimentos, de duas pessoas. Um foi postado pela própria pessoa em seu blog, outro foi dado como comentário em outro blog, dando sua opinião sobre disputa eclesiástica. Retirei a identificação pessoal dos depoimentos, em seguida vou colocar meu comentário, que eu dei a uma das pessoas. Acredito que muitos estejam na mesma situação que os depoentes. Faço isso, na esperança de ajudar quem está assim.

DEPOIMENTO I. - "Qualquer disputa por poder, dentro da Igreja, enfraquece o testemunho, a missão, a pregação do Evangelho, a busca pelos desgarrados, o trabalho na seara... Porque nossa luta não é contra a carne, mas espiritual. Não sou nada, em Igreja nenhuma. Não tenho cargo, não quero ser da liderança, não aspiro a posto nenhum.

Se Deus me abençoar para mostrar e pregar a Palavra e o Amor dEele, defeituosa de nascença como sou, a qualquer pessoa que encontrar pela frente, já vou achar uma honra e um favor. Às vezes me pergunto porque após anos eu não tenho ânimo para ir à Igreja. Oro em casa, leio a Bíblia em casa, canto sozinha, deposito dízimo e contribuiçoes no caixa eletrônico.

É por causa de coisas assim, Congressos, reuniões, publicações, disputas. Eu fico triste com isso, porque fora da Igreja as pessoas estão morrendo sem Deus, e o número dos que morrem sem saber que Ele veio e morreu por nós, por seu imenso Amor, é crescente. Quero ir para onde Ele me mandar, mas peço para ser sempre esse nada, dentro da instituição Igreja".

DEPOIMENTO II - "As vezes me pego assim, diante de mim mesma, e a perguntar o porque dos fatos, o que afinal é certo ou errado. Tenho fé, creio em Cristo muito mais do que em mim mesma, conheço Seu Poder e Seu Amor como muitos sequer imaginam conhecer um dia.

Já precisei Dele e fui socorrida e já fui socorrida sem saber que precisava Dele. Iniciei minha vida em Cristo diante do maior dos milagres, diante do milagre da vida - literalmente. Sei que minha própria vida e minha conversão por si só já é um milagre e me alegro nisso, agradeço e adoro por isso.
Vivi anos a fio dentro de uma única igreja, tive um único pastor e me entreguei de corpo e alma a um único ministério.

Esse ministério já não existe mais, esse pastor já não é mais pastor e essa igreja fechou suas portas. O que se chama de pecado, de ira, de inveja, vaidade e adultério (nos dois sentidos da palavra) entraram nessa igreja e tomaram por completo seus líderes, impedindo-os de verem a verdade e consequentemente se libertarem de todas essas coisas.

Vi desmoronar sonhos, dissolverem-se adoradores, dispersarem-se ovelhas, acusarem-se inocentes, mentiras sendo ditas com vozes doces e suaves, acusações atiradas de púlpito sem direito de defesa ou resposta, pastores e apóstolos reunidos e sentados à mesa do café e combinando como atacar e destruir aqueles que supostamente os afrontavam.

Vi usarem a Bíblia e o Nome de Deus para acusar e condenar, enfim, como se diz entre nós, vi o diabo "sentado e rindo" dentro da igreja enquanto os ditos crentes se degladiavam.

Descobri , com o passar do tempo, que amizades que eram declaradas não passavam de interesse pessoal, chacorrices ditas pelas costas de quem se entregava e se dedicava com amor, e o pior, vi roubarem a alegria do rosto de muitas pessoas.

Hoje, coloco em dúvida muitas coisas que aprendi naquele lugar e com aquelas pessoas.
Me martirizo em dúvidas sobre pentecostalismos e doutrinas e já não sei mais o que fazer. São quase 2 anos sem igreja, visitando uma ou outra mas nunca estando em nenhuma.

Sinto uma falta imensa, mas não consigo mais me entregar. Moro numa cidadezinha pequenina e conheço de trás pra frente toda crentolândia desse lugar. Conheço suas histórias, suas famílias, seus atos e desatos, e creio que isso seja o que mais me assusta e me afasta do convívio com eles.

Nessa tal igreja que fechou, eu conseguia ficar sim, porque encontrava lá o amor que era pregado, e durante muitos anos foi verdadeiro e maravilhoso, mas não suportou quando o pecado tomou a cúpula pastoral.

Uma tristeza só. Hoje vejo andando por aí, pastores sofrendo de depressão bipolar profunda e virando a cara para todos nas ruas, odiando com uma força que me assusta e tendo muita vergonha de tudo, vejo pastoras que sustentam as piores mentiras para defender suas crias e que se escondem envergonhadas dentro de casa, invadidas pela solidão e desprezo de grande parte da cidade que conhece seus atos.

Vejo castelos que desmoronaram, vidas retalhadas e tentando mostrar um equilíbrio que não existe e areia espalhada por todos os lados.
Vejo a mentira tomando o corpo da verdade e impedindo a cura, o perdão e o sorriso.
Vejo um apóstolo se vangloriando em cima do fechamento dessa igreja só porque essa o assustava.

Cansei de ver os interesses humanos acima dos interesses de Deus.
Não suporto mais ver inocentes pagando o preço alto pelo que não fizeram.
Não aguento mais mentiras ditas com lágrimas, voz doce, pestanas caídas e com tanta cara de pau.
Me enojo diante de tanta falsidade e hipocrisia, e em resumo, me afasto do convívio denominacional.

É muito simples me dizerem que preciso da igreja , que sem ela não sobrevivo, que preciso estar em comunhão com irmãos , que tenho que olhar para Deus e não para os homens.... é muito simples dizer isso para os outros, eu mesmo já disse muito para pessoas que um dia eu julguei estarem desviadas, mas quando é você quem vive essas dores e dúvidas, fica tudo mais difícil.

Já tive até mesmo vontade de mudar dessa cidade tão lindinha, só pra encontrar uma outra igreja, mas sei que os homens estarão em todas e que encontrarei tudo igual a aqui.
Então, vou ficando nessa em que estou, sozinha, visitando uns e outros, recusando convites para estar com uns e outros, mas nunca negando a Cristo.
Vou caminhando assim, com ELE, mas um dia aqui e outro lá, orando para que esses ditos líderes reconheçam seus erros e sejam curados, pois sei que são pessoas boas e merecedoras da Graça de Deus.
Vou seguindo meu caminho, esperando um dia encontrar as tão famosas águas tranquilas e os tão desejados pastos verdejantes que com tanta alegria eu já experimentei".

MEU COMENTÁRIO (PR. Juber Donizete)

O grande problema da religião é este: Deus só é Deus dentro de suas estreitas paredes! Desse modo, a gente de uma certa maneira, fica “viciado” pela religião, e acreditando que as visitas a um determinado lugar ou endereço equivalem a usufruir a “presença de Jesus”, quando se afasta daquela “congregação”, sempre se sente desviado de Deus.

Trata-se de um poder tão grande esse da religião, que muita gente de fato deixa de orar, de ler a Palavra, de testemunhar a fé, de dizer o que pensa e crê, de ser sal da terra e luz do mundo, de enfrentar o mal, de repreender o diabo, de celebrar o amor de Deus, etc...apenas porque não gosta de um lugar e decidiu que ali não dá. Assim nascem os “desviados”.

Algumas vezes a pessoa deixa o Caminho mesmo. Perde a exultação na esperança e não crê na Graça de Deus. Porém, quem conheceu a Graça de Deus em Cristo se torna indesviável. Pode até não gostar da “cultura de igreja”. Pode até, circunstancialmente, não desejar nenhum envolvimento. Pode até estar vivendo uma estação de desapontamento e falta de alegria no convívio cristão, razões jamais faltarão, como no seu depoimento.

Então se pergunta: Para o que serve a igreja como ajuntamento humano? Bem, para mim ela é Fundamental, embora não seja Essencial. Cristo é Essencial. Sem Ele não há salvação! A Igreja é Fundamental. Sem ela não se cresce em maturidade e comunhão! Sem Jesus não há nada. Sem a Igreja não há muitas coisas boas. A Carta aos Hebreus diz que não devemos deixar de nos congregar com os irmãos. A saúde humana demanda convívio.

Bem, dizendo isto não estou desencorajando você a deixar de ir a uma igreja. Ao contrário: penso que você precisa muito congregar. E também não estou dando nenhum pouquinho de força para você ficar onde está, ou seja: lugar nenhum. O pior é que quanto mais esse pensamento se instala, mais a pessoa se “sente” longe de Deus mesmo. Trata-se, portanto, de um afastamento psicológico de Deus, e baseado na culpa de não gostar da representante de Deus na terra: a “igreja”. Assim, quanto MENOS a pessoa gosta da “igreja”, MAIS julga que está longe de Deus.

Ora, o caminho é justamente o inverso: eu tenho que ter uma relação muito forte e firme na Graça de Deus com Deus, a fim de suportar a “igreja”. Ou seja: eu tenho que ser Igreja a fim de poder conviver com a “igreja”. Do contrário, aconteceria comigo o que acontece com milhares: quando não agüentam mais a “igreja”, deixam a fé; e assumem seu desvio de Deus, indo de mal a pior.

Portanto, o que aconselho nesses casos é pegar sua Bíblia e lê-la. Reiniciar a vida oração (isto quando a pessoa parou com essas duas atividades). Saiba que Deus é seu Pai. Creia em Jesus e saiba que se você é Dele ninguém e nem nada a tirarão de Suas mãos. E, por último, procure um lugar leve, legal de estar, e freqüente sem neurose. A Palavra faz o resto do trabalho. No mais você é livre para ficar onde for bom. Simplesmente abrace o seu chamado em Cristo

Postado originalmente em 06/08/2008.

Comentário: Matias Borba

Lendo os depoimentos e os excelentes comentários feitos pelo Pr. Juber, me veio a mente que eu mesmo, já enfrentei uma guerra interior sobre o valor da igreja como instituição, a importância de se congregar e de se viver uma fé viva e abalizada na Palavra de Deus. Essa guerra, vivi na pele quando ainda muito novo convertido, morava em um bairro muito carente e, dentre as principais quixas que tinha comigo, era pelo fato de que a "igreja" não cuidava dos pobres, muitos de seus membros eram extremamente hipócristas em suas atitudes eram nada amorosas, tanto com os fracos na fé como com os desviados, não da "igreja", mas da comunhão com Deus e da Igreja.

Vivia como um zumbi, que não sabia o que fazer, e nem como agir diante de tamanha guerra e por alguns mementos, não sabia nem que eu mesmo era. O que me fez mudar essa postura infantil ou de incertezas? Exatamente o que aconselha o Pr. Juber em parte de seu comentário: " Pegar a Bíblia e lê-la. Reiniciar a vida oração..." e só assim, foi que de fato pude desenvolver uma vida verdadeira com Deus e suportar a "igreja", vivendo em comunhão com a Igreja.

Como bem citou o Pr. Juber, a Bíblia em Hebreus, nos mandam não deixar de estarmos em comunhão em nossa congregação, os relacionamentos desenvolvidos com outro seres humanos, é algo extremamente importante no desenvolvimento da vida do homem, seja em qualquer área da vida, e por isso que Deus requer a convivência e comunhão entre pessoas.

Ter Cristo em nossos corações é essêncial, está essência é que nos dará forças para suportar tudo o que vemos fora do Evangelho em qualquer intituição que estivermos, e assim, poderemos desenvolver nossas vidas de forma mais saudável, tendo consciência de que, o comprometimento com uma igreja, é fundamental para nossas vidas neste mundo.

O conselho dado é o mesmo de que deu o Pr. Juber e o mesmo que tive, recomece seu caminho, recomece sua vida de oração, leia a Bíbla como se fosse seu ultimo remédio para sua cura, como se você fosse morrer e agora, precisasse urgentemente de um remédio diário. Apenas com essas práticas é que muitos deixarão de serem desviados de Deus, pois muitos estão desviados de Deus achando que estão da "igreja", pensando, como disse o Pr. juber, "Deus só é Deus dentro de suas estreitas paredes". Deus está pronto a receber qualquer um que arrependa-se, que volte ao caminho deixado e que sirva ao Senhor com o coração aberto.


Para conhecer melhor os textos do Pr. Juber Donizete, visitem e sigam seu blog acessando: http://juberdonizete.blogspot.com/

Um comentário:

Anônimo disse...

Igrejas se tornou um campo minado,
tem que saber onde pisa,tem perigo pra todo lado dentro de uma Igreja.
a jogo de interesses,hipocrisia,
mentiras,falsidade,ferem a honra de
pessoas,pastores que fala mal de
outros pastores,esta dificil ficar em igreja hoje.
amor que tanto prega nos pulpitos
nao praticam.